O que de "melhor" se passa no nosso País, fundamentalmente na Educação!!!

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Avaliação dos professores - Opinião de uma advogada


Já que muitos jornalistas e comentadores defendem e compreendem o modelo proposto para a avaliação dos docentes, estranho que, por analogia, não o apliquem a outras profissões (médicos, enfermeiros, juízes, etc.).


Se é suposto compreenderem o que está em causa e as virtualidades deste modelo, vamos imaginar a sua aplicação a uma outra profissão, os médicos.


A carreira seria dividida em duas:


Médico titular (a que apenas um terço dos profissionais poderia aspirar) e Médico.


A avaliação seria feita pelos pares e pelo director de serviços. Assim, o médico titular teria de assistir a três sessões de consultas, por ano, dos seus subordinados, verificar o diagnóstico, tratamento e prescrição de todos os pacientes observados. Avaliaria também um portefólio com o registo de todos os doentes a cargo do médico a avaliar, com todos os planos de acção, tratamentos e respectiva análise relativa aos pacientes.


O médico teria de estabelecer, anualmente os seus objectivos: doentes a tratar, a curar, etc.

A morte de qualquer paciente, ainda que por razões alheias à acção médica, seria penalizadora para o clínico, bem como todos os casos de insucesso na cura, ainda que grande parte dos doentes sofresse de doença incurável, ou terminal. Seriam avaliados da mesma forma todos os clínicos, quer a sua especialidade fosse oncologia, nefrologia ou cirurgia estética...


Poder-se-ia estabelecer a analogia completa, mas penso que os nossos 'especialistas' na área da educação não terão dificuldade em levar o exercício até ao fim.


A questão é saber se consideram aceitável o modelo?


Caso a resposta seja afirmativa, então porque não aplicar o mesmo, tão virtuoso, a todas as profissões?


Será???!!!


Já agora...


Poderiam começar a 'experiência' pela Assembleia da República e pelos (des)governantes...


Lena Fraga

18 comentários:

f@ disse...

Esta parte final é mto bem vista e todo o resto claro...
beijinhos das nuvens

1/4 de Fada disse...

Claro que nem água! Aqui está um texto brilhante, devia ser emoldurado...

D.Antónia Ferreirinha disse...

Olha colega, eu vou copiar este mail e colocar no meu blogue.
Quero de facto passar o mesmo.
Esqueci-me de dizer que a advogada tem toda a razão.
Beijinhos.

susana disse...

Esta já me tinha passado pelo mail... Mas olha que entre professores e membros de outras classes trabalhistas públicas, hoje em dia sou apologista de que ninguém devia andar muito "à solta", particularmente os mérdicos, que só fazem medices... E também há muitos profs que não são dignos do seu título e não há quem os controle. Confesso que, em termos de avaliação, sou crítica em relação aos métodos, à forma como é pensada, à escolha dos avaliadores... Se a avaliação for justa, entre ela no sector da função pública, que, sejamos honestos, abriga muito malandro. Um exemplo: é só ir a um hospital público ou a uma repartição de finanças.

JC disse...

Cocordo com todo o seu texto. especialmente com a última parte.
Quanto à avaliação dos profesores, apesar de não o ser acho das miores vergonhas, ou talvez das maiores barbaridades que se fizeram até hoje em termos de avaliação de profissionais.
Bijinhos

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

São 3 horas da manhã. Mas como as coisas se acalmaram, fiz um post sobre um filme que todo mundo no mundo já viu e sempre vê de novo. Tirei aquele monte de flores e só deixei as do João. Esta postagem dá para ser bem apreciada.
Um abraço,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Liz / Falando de tudo! disse...

penalizar, governantes, so em sonho! o deles é bem guardado, se aproveitam do poder pra se livrarem das leis....

Professorinha disse...

Mas olha que aí está algo a experimentar... aposto que a medicina neste país melhorava logo!!! COmo vai acontecer com a educação, claro...

BEijos

Carla disse...

perfeito...a Assembleia da República seria o sítio idela
beijos

dona tela disse...

Um espectáculo! Um espectáculo!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

O seu texto é duma clareza incrível, digno de O Discurso do Método.
Amigo, fiz um post mais leve, mais fácil de baixar e gostaria de saber a sua opinião tanto da forma quanto do conteúdo. Aparela no meu Blog e avalie o meu novo post. Conto com vc.
Um abraço,
Renata
wwwrenatacordeiro.blogspot.com

Amandinha disse...

texto brilhante [2]

bjs e BFS
;))

"Sofi@" disse...

Eu acho isto injusto e estúpido, mas o que é que se hade de fazer.
bj



"Sofi@"

Mariazita disse...

Os assuntos relacionados com a Educação deaspertam sempre o meu maior interesse.
No meu blog publiquei vários posts relativos ao tema, com a Etiqueta «Educação».
Este mesmo texto publiquei-o em 18 de Maio, com o título "Generalizar a Avaliação", com uma pequena introdução minha.
Li aqui um comentário que refere
"E também há muitos profs que não são dignos do seu título e não há quem os controle".
Sem comentários!!!
Um abraço
Mariazita

Pedro disse...

Também podiamos ver a opinião de um juíz, de um jornalista ou de um político. De facto, esta avaliação docente não tem jeito nenhum...

susana disse...

mariazita: eu tenho exemplos, bem próximos... Tenho uma amiga que foi presidente de conselho directivo e que viu barbáries realizadas por colegas... E conhecer o comportamento de colegas em instituições paralelas de ensino público e privado? É uma tolice olhar para o nosso país e não reconhecer que algum controlo tem que existir sobre as pessoas e as instituições. O que o post do tito tem de fantástico é o facto de revelar as assimetrias nas exigências colocadas a profissionais de diferentes áreas. O que tem de mal a avaliação, tal como quase tudo o que a lurdinhas se lembra, é a forma, nem sempre o conteúdo. E o que é interessante é que algumas das decisões dela têm por base alguns anos de "tiros nos pés" de alguns colegas espeditos na fuga às suas obrigações. E pagaram os justos pelos pecadores. Por isso digo que há muitos professores (e médicos, e advogados, e polícias,...) que não são dignos do título que usam e não há quem os controle.
E já agora, se me permite, o interessante dos Blogs é podermos comentar, discutir, conversar, partilhar, concordando ou discordando. Se não vale a pena comentar, então nada vale a pena. Aquele que não comenta assume a sua verdade como absoluta, com os riscos que as verdades absolutas comportam.

arte por um canudo 2 disse...

Que confusão iria dar...

dona tela disse...

Aqui há gato!

Beijinhos.